Obesidade Infantil...




A obesidade não é mais apenas um problema estético, que incomoda por causa da “zoação” dos colegas, foi-se o tempo que criança saudável era criança gordinha. Hoje o quadro é assustador: a obesidade atinge 15% das crianças, 8% dos adolescentes e 80% desta população ainda continuam obesos na fase adulta. Nos últimos 20 anos o numero de crianças obesas aumentou consideravelmente e isso não se passa só no Brasil e na Europa, mas na maior parte do mundo, trata-se de um problema de saúde pública.


As crianças em geral ganham peso devido a fatores como: hábitos alimentares errados, fatores genéticos, estilo de vida sedentário, distúrbios psicológicos, problemas na convivência familiar e em pequeno percentual vem os problemas hormonais. Erroneamente as pessoas dizem que crianças obesas ingerem grande quantidade de comida.


Esta afirmativa NEM SEMPRE é verdadeira, pois em geral as crianças obesas usam alimentos de alto valor calórico que não precisa ser em grande quantidade para causar o aumento de peso, estando mais relacionado à QUALIDADE da alimentação. Só para se ter uma idéia, quando o pequeno devora um pacote de bolacha recheada, ele está ingerindo o equivalente a metade das calorias do dia, isso se só falarmos em calorias, fora açúcares e gorduras em excesso.


Os prejuízos podem ser enormes! Além do impacto na autoestima, há um aumento de problemas ortopédicos, de infecções respiratórias e de pele, de cirrose hepática por excesso de gordura depositada no fígado - a chamada esteatose hepática, diabetes, problemas cardíacos, todos em consequência da obesidade.


A obesidade infantil é um problema grave e deve ser encarada com muito cuidado. E o melhor tratamento está em levar estas crianças a fazer mais exercícios físicos e em ensiná-las a ter uma alimentação saudável, reduzindo o consumo de calorias e de gorduras. Melhor nem seria o tratamento e sim a prevenção, mas diante da realidade algo tem que ser feito e o mais rápido possível.


“Pela primeira vez, teoricamente esta geração viverá menos do que seus pais, devido ao sedentarismo e hábitos alimentares errados”.


Lembre-se sempre que compra comida para as crianças são os adultos, por isso, fiquem atentos, pois pais precisam mudar hábitos e dar exemplos.

Dicas de segurança na cozinha

#1 

Use luvas térmicas quando no preparo de pratos quentes.

 

#2

Evite que facas e ojetos cortantes fiquem ao alcance de crianças.

 

#3

Verifique se o gás foi desligado após o termino do preparo das receitas.

#4
Não deixe panela com o cabo para fora do fogão. Coloque-as todas para dentro.

 

#5
Cuidado com panos e plásticos próximo ao fogão enquanto o mesmo estiver ligado, pois oferecem potencial risco de incêndio à cozinha.

 

#6
Não leve as vasilhas de vidro do forno direto para pia ou bancadas de pedra, pois o vidro pode quebrar e, além de machucar, você perderá toda sua preparação. Ao tirar do forno, coloque-a sobre o fogão, por exemplo.

©  Raphaella Cordeiro (31) 99741-8119

  • Grey Facebook Icon
  • Grey YouTube Icon
  • Grey Instagram Icon